Saltar para conteudo

Sinopse

DDD 2024 no TMP

Jan Martens / GRIP

VOICE NOISE

Abril

2024

estreia nacional

Seg
29
Ter
30

Sinopse

"Barulho irritante”: é assim que a voz feminina tem sido frequentemente considerada desde os tempos da Grécia antiga. VOICE NOISE inspira-se no ensaio de Anne Carson, The Gender of Sound (1992), no qual é exposta a forma como a cultura patriarcal procurou silenciar as mulheres, associando ideologicamente o som feminino à monstruosidade, à desordem e à morte. Em VOICE NOISE, algumas vozes femininas inovadoras, desconhecidas e/ou esquecidas dos últimos cem anos da história da música ganham um palco. Seis bailarinas respondem a gravações em que a voz humana pode ser ouvida sob várias formas: cantarolar, acalmar, gritar, sussurrar, cantar. Gradualmente, descobrem a sua própria voz. Jan Martens regressa a uma produção para um pequeno grupo de seis intérpretes. Trabalha com intérpretes que o inspiraram no passado e convida novas caras. A obsessão do coreógrafo por números, geometria e padrões encontram-se com as linguagens físicas únicas destes intérpretes, e surge um novo interesse pela própria dança: no detalhe e na subtileza, na redefinição da graça e da elegância. — Jan Martens / GRIP
 

feminino

resistência

histórias

vozes

© Phile Deprez

© Phile Deprez

© Phile Deprez

© Phile Deprez

© Phile Deprez

Info sobre horário e bilhetes

Seg

29.04

21:30

Ter

30.04

19:30

RivoliGrande Auditório

bilhetes

Informação adicional

  • Preço 
    12€
  • Duração 
    1h20 (com intervalo)
  • Classificação etária 
    6+

Acessibilidades do espetáculo

Acessível a pessoas em cadeira de rodas
Sem texto

Texto biografia autores

Jan Martens (1984, Bélgica) estudou na Academia de Dança de Fontys, em Tilburg, e concluiu a formação em dança no Real Conservatório de Antuérpia em 2006. Vem criando o seu próprio trabalho coreográfico desde 2010, o qual, com o passar dos anos, vem sendo interpretado com cada vez mais regularidade perante um público nacional e internacional. O trabalho de Martens alimenta-se da crença de que cada corpo é capaz de comunicar e tem algo a dizer. Essa comunicação direta manifesta-se em formas transparentes. A cada nova produção, procura redesenhar a relação entre público e intérprete. É artista associado de deSingel (Antuérpia, Bélgica), La Comédie – scène nationale de Clermont-Ferrand, Opera Ballet Vlaanderen, Maison de la danse Lyon e da Bienal de Dança de Lyon. Em 2014, Jan Martens fundou a plataforma coreográfica GRIP com a gestora de empresas Klaartje Oerlemans em Antuérpia/Roterdão. 

Ficha técnica

  • Coreografia
    Jan Martens

    Interpretação
    Elisha Mercelina, Steven Michel, Courtney May Robertson, Mamadou Wagué, Loeka Willems, Sue-yeon Youn

    Direção de ensaios
    Zora Westbroek

    Substitutos
    Pierre Adrien Touret, Zora Westbroek

    Desenho de luz
    Jan Fedinger

    Figurinos
    Sofie Durnez

    Cenografia
    Joris Van Oosterwijk

    Estagiário
    Malick Cissé

    Olhares exteriores
    Marc Vanrunxt, Rudi Meulemans, Femke Gyselinck

    Todos os movimentos são criados pelos bailarinos

  • Produção
    GRIP

    Distribuição internacional
    A Propic – Line Rousseau, Marion Gauvent, Lara Van Lookeren

    Coprodução
    DDD – Festival Dias da Dança, La Comédie de Clermont-Ferrand, Maison de la Danse de Lyon, centro de artes internacional deSingel, Théâtre de Liège, Julidans, Le Manège – Scène nationale de Reims, Festival Romaeuropa, Scène nationale de Forbach, Charleroi Danse – Centre chorégraphique de Wallonie – Bruxelles, Festspielhaus St. Pölten, tanzhaus nrw Düsseldorf, Théâtre de La Ville – Paris, Équinoxe – Scène nationale de Châteauroux

    Residências
    La Comédie de Clermont-Ferrand (França), deSingel (Antuérpia, Bélgica), Charleroi Danse, Centre chorégraphique de Wallonie – Bruxelles (Bélgica)

    Com o apoio financeiro do
    Governo da Flandres e do Governo Federal da Bélgica através do BNPPFFF  

Subscrevam a nossa newsletter e recebam todas as novidades sobre o TMP.

close