ROGER BERNAT (ES)


PENDIENTE DE VOTO

ESTREIA NACIONAL

SÁB 21 ABR ⁄ 16h00


Palco do Auditório • Campo Alegre

Crianças 2,00EUR • Adultos 5,00EUR • M/16

bilhetes

Criação e Direção Roger Bernat
Assessoria de Conteúdos Óscar Abril, Sonia Andolz 
Dispositivos Pablo Argüello, David Galligani 
Visualização de Dados Mar Canet 
Desenho de Som Juan Cristobal Saavedra
Seleção Musical David Cauquill, Juan Cristobal Saavedra 
Efeitos Especiais Cube.bz 
Produção Helena Febrés Fraylich 
Dramaturgia Roberto Fratini 
Desenho Gráfico de Cena Marie‐Klara González
Programação e Análise de Dados Chris Hager, Jaume Nualart 
Desenho de Luz Ana Rovira 
Ajudante de Direção e Direção Técnica Txalo Toloza 
Versão de “People Have The Power” PatchWorks
Coprodução NCentro Dramático Nacional, Teatre Lliure, Elèctrica Produccions
la palabra con la ayuda del INAEM/Ministerio de educación, cultura y deporte
Duração aprox. 2h20 (com dois intervalos)  
It was a large room.
Full of people.
All kinds.
And they had all arrived at the same buidling at more or less the same time.
And they were all free.
And they were all asking themselves the same question:
What is behind that curtain?
You were born.
And so you’re free.

— Laurie Anderson
Sem atores, “Pendiente de Voto”, criação do catalão Roger Bernat, transforma o público em protagonista. O Teatro transforma-se num Parlamento, onde cada um dos espectadores recebe um controlo remoto, com o qual pode votar e éconvidado a posicionar-se perante diversos temas: dos mais simples aos mais complexos, desde questões políticas até à sua canção preferida.


O teatro de Roger Bernat é um laboratório coletivo em que se inscrevem as aspirações utópicas e as fantasias autoritárias de uma comunidade. O espectador deixa de ser testemunha privilegiada para se converter num ator de um drama que renuncia a ser unicamente vítima e aceita o risco de se transformar em intérpete. Os seus espetáculos mais conhecidos são “Domini Públic” (2008), “La consagración de la primavera” (2010), “Please Continue: Hamlet” (2011), “Pendiente de voto” (2012), “Desplazamiento del Palacio de La Moneda” (2014), “Numax-Fagor-plus” (2014), “No se registran conversaciones de interés” (2016-17) e “The place of the Thing” (Documenta 14, 2017). Os espetáculos de Roger Bernat receberam vários prémios da crítica e, em 2017, foi distinguido com o Prémio Sebastià Gasch d’Arts Parateatrals. 
ROGER BERNAT (ES) - © BLENDA

© BLENDA

calendário