Ricardo Neves-Neves & Filipe Raposo

Banda Sonora

Abril

5 Sex 21.00h & 6 Sáb 19.00h


RIVOLI Grande Auditório

7.50€ • >14  

bilhetes

Texto e encenação Ricardo Neves-Neves
Composição e orquestração Filipe Raposo
Elenco Ana Valentim, Joana Campelo, Márcia Cardoso, Rita Cruz, Sílvia Figueiredo, Tânia Alves com Orquestra Académica Metropolitana
Maestro Cesário Costa
Direção vocal João Henriques
Sonoplastia Sérgio Delgado
Desenho de luz Pedro Domingos
Cenografia Henrique Ralheta
Assistente de cenografia Sebastião Soares
Figurinos Rafaela Mapril
Assistente de figurinos Madalena Sabino
Confeção de guarda-roupa Ana Sabino Atelier e Mónica Félix
Caracterização Cidália Espadinha
Assistentes de caracterização Beatriz Pessoa, Bruno Saavedra, Dennis Correia, Márcia Filipe e Mariana Capinha
Coreografia e movimento Sónia Baptista
Fotografias Alípio Padilha
Assistência de encenação Rafael Gomes
Segundos assistentes de encenação Cristiana Simões, Diana Matias e Solange Brás
Produção/comunicação Mafalda Simões
Coprodução São Luiz Teatro Municipal, Cine-Teatro Louletano e Teatro do Eléctrico

Duração aprox. 1h 

em paralelo

6 Sáb 10.00h - 13.00h & 14.30h - 17.30h

Workshop de cenografia

O papel da Cenografia num espetáculo
Diálogo, Dramaturgia, Síntese e Engenho
com Henrique Ralheta

Workshops

Depois de ter sido muito bem recebido na sua estreia em março de 2018 no São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa, “Banda Sonora” chega também ao Grande Auditório do Rivoli.
Neste espetáculo, a composição musical é o ponto de partida, criada pelo pianista, compositor e orquestrador Filipe Raposo, que despertará uma ideia de encenação/ambiente e, por conseguinte, um texto. Interpretada ao vivo pela Orquestra Académica Metropolitana, sob a direção do maestro Cesário Costa, o trabalho resulta das experiências com os 33 músicos e com as vozes das seis atrizes em palco, criando uma atmosfera de floresta onírica inspirada no teatro do absurdo e nos filmes de terror. Três mulheres jovens, que representam ambições muito vincadas na sociedade desmembram-se em outras três figuras através de texto falado e cantado, carregado de metáforas e contos mais ou menos tradicionais.


Ricardo Neves-Neves é licenciado em Teatro pela ESTC e especialista em Estudos de Teatro pela FLUL. Participa no Obrador d’Estíu-Dramaturgia, Barcelona, com Simon Stephens. É o director artístico do Teatro do Eléctrico, onde escreve e encena. Encenou obras de Edward Albee, Karl Valentin, Copi, Spiro Scimone, Martin Crimp, Rousseau, Mozart. Peças suas foram encenadas por Mónica Garnel, Sandra Faleiro, Ana Lázaro, Paula Sousa. Tem peças publicadas na Cotovia/Artistas Unidos, Teatro Nacional D. Maria II, Companhia das Ilhas. É autor e coencenador de “Floating Island”, peça já apresentada no Théâtre de la Ville e no Taipei Arts Festival. Lecionou na ESTC e na ACT. Colaborou com os Artistas Unidos, o Teatro da Terra, a Primeiros Sintomas, o Teatroesfera, o Teatro Meridional, a Casa Conveniente, o Teatro dos Aloés e as Comédias do Minho, entre outras estruturas e companhias.

Filipe Raposo
é pianista, compositor e orquestrador. Iniciou os seus estudos pianísticos no Conservatório Nacional de Lisboa. Tem o mestrado em Piano Jazz Performance pelo Royal College of Music (Estocolmo) e foi bolseiro da Royal Music Academy of Stockholm. Tem colaborações em concerto e em disco com alguns dos principais nomes da música portuguesa, como Sérgio Godinho, José Mário Branco, Fausto, Vitorino, Janita Salomé, Amélia Muge, Camané, Carminho, Maria João. Enquanto orquestrador e pianista tem colaborado com inúmeras orquestras europeias, como a Sinfonieta de Lisboa, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra Metropolitana, a Orquestra Filarmonia da Beiras, a Orquestra Clássica da Madeira, a Orquestra do Sul, a Thueringen Symphony Orchestra, entre muitas outras. Atualmente faz a curadoria na área do jazz para a recém-criada editora digital Lugre Records.  
Aquecimento Paralelo com Paulo Mota - © Alípio Padilha

© Alípio Padilha

calendário