Pablo Fidalgo Lareo

Anarquismos
Espanha
Estreia Nacional

Janeiro

25 Sex 21.00h & 26 Sáb 19.00h


RIVOLI Palco do Grande Auditório

7.50€ • >16 

bilhetes

Texto e direção artística Pablo Fidalgo Lareo
Interpretação Rocío Berenguer, Ángela Millano, Cláudio da Silva
Desenho de luz Cláudia Rodrigues e Pablo Fidalgo
Direção técnica Cláudia Rodrigues
Assistente de coreografia Flora Detraz
Som João Bento
Direção de produção e difusão O Rumo do Fumo
Produção executiva e assistente de direção Amalia Area
Fotografia de divulgação Luis Nocete
Coprodução Maria Matos Teatro Municipal, Théâtre de la Ville - Paris, Teatro Municipal do Porto, Centro Dramático Galego/Agadic/Xunta de Galicia, Festival BAD Bilbao, MA Scène Nationale - Pays de Montbéliard et Le Granit, Scène Nationale de Belfort
Apoios Câmara Municipal de Lisboa / Polo Cultural Gaivotas, EGEAC, Causas Comuns, Teatro do Elétrico, Festival de Otoño de Madrid, Marche Teatro / Villa Nappi Residences e NAVE Santiago de Chile, Câmara Municipal da Moita/Centro de Experimentação Artística (Vale da Amoreira)
No Verão de 2005, quatro jovens estudantes de teatro decidem viver juntos num bairro de Madrid e construir uma biografia de grupo em que vivem, comem, escrevem e dormem juntos.
Esta é uma história que se desenrola, uma história que termina como todas as histórias de comunidades. No palco, os três membros do grupo (denominados como 1, 2 e 3) falam sobre 0, desaparecido há algum tempo e sem qualquer promessa de voltar para a casa. Desprovidos de nome e identidade, palavra e movimento, irão reconstruir uma história complexa, com jogos de poder, onde ninguém é bem tratado e onde se reproduzem padrões familiares baseados no silêncio e no medo. Assim, descobriremos as dificuldades e o quotidiano destes quatro jovens que tentam inventar um outro mundo, um sistema e uma forma de criar própria e única. Quanta inteligência, quanta resistência é necessária para viver fora do mundo, ou com um pé dentro e um fora?


Pablo Fidalgo Lareo (Vigo, 1984) é escritor, criador teatral e curador independente. Apresentou o seu trabalho em vários países e festivais em todo o mundo. Criou as peças teatrais “O estado Salvaxe, Espanha 1939” (2013), “Habrás de ir a la guerra que empieza hoy” (2015), escolhida pelo diário Público como melhor espetáulo do ano, e “Daniel Faria” (2016). As duas primeiras fazem parte, junto com o livro “Mis padres: Romeo y Julieta”, de um projeto de investigação sobre a memória da história através da biografia pessoal e familiar. É diretor artístico do Festival Escenas do Cambio, na Cidade da Cultura, Santiago de Compostela.  
Pablo Fidalgo Lareo - © Luis Nocete

© Luis Nocete

calendário