MARCO MARTINS


Provisional Figures
Great Yarmouth


Estreia Nacional ⁄ Coprodução

No âmbito do FITEI 2018

Sex 15 Jun ⁄ 21h30 & Sáb 16 jun ⁄ 19h00


Palco do Grande Auditório • Rivoli

7,50 EUR • M/12

bilhetes

Encenação Marco Martins
Produzido por CCTAR – Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua
Intérpretes Ana Moreira (Portugal), Ivan Ammon (Eslovénia), Maria do Carmo Ferreira (Portugal), Pedro Cassimo (Moçambique), Peter Dewar (Inglaterra), Richard Raymond (Inglaterra), Robert Elliot (Inglaterra), Sérgio Cardoso de Pinho (Portugal), Victoria River (Inglaterra)
Conceito e Dramaturgia Marco Martins
Uma ideia original de Renzo Barsotti
Pesquisa e Documentação Zé Pires
Workshops de Movimento e Teatro Nuno Lopes, Sara Carinhas, Romeu Runa e Victor Hugo Pontes
Assistente de Encenação Rita Quelhas
Textos Gonçalo M. Tavares e Isabela Figueiredo
Pesquisa Fotográfica André Cepeda, Marco Martins e Sofia Bernardo
Desenho Gráfico Studio Pyramid
Tradução e Legendagem Tradioma, Gab. de Tradução e Interpretação, Lda.
Cenografia Fernando Ribeiro
Desenho de Luz Nuno Meira
Sonoplastia Sérgio Milhano
Direcção de Produção Sofia Bernardo
Assistente de Produção Paula Coelho

Drill House
Direcção Artística / Direcção Executiva Joe Mackintosh
Equipa Angelica Urfano, Becca Clayton, Darren Cross, Denise George, Linda Willis, Nikolay Atanasov, Rima Kaminskaite, Sharon Sands, Siobhan Johnson, Taraneh Jahanpour e Veronica Stephens
Uma criação de CCTAR – Centro de Criação para o Teatro e Artes de Rua
Coproduzido por República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes, Instituto Camões, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto, SeaChange Arts
Apoiado por Brighton Festival, Norfolk & Norwich Festival & Calouste Gulbenkian Foundation (UK Branch), Arts Council England
Apoio à Internacionalização Fundação Calouste Gulbenkian
Residência Artística Online :raum / Curadoria de Liliana Coutinho
Agradecimentos Mariana Fonseca, Guilherme Branquinho, André Príncipe, Sr. Joaquim, Samuel e Daniela do Galante Cafe, Restaurant & Bar, Rita Arnaut, ASSéDIO e Arena Ensemble

Duração aprox.: 1h30
Provisional Figures é a denominação dada, em estudos estatísticos, a todos os emigrantes com uma situação indefinida ou provisória presentemente a trabalhar no Reino Unido.
Culminando um processo de dois anos de investigação junto da comunidade portuguesa de Great Yarmouth, Provisional Figures propõe-nos uma reflexão sobre os problemas da identidade e da emigração num contexto urbano fortemente abalado pela crise económica e consequentes convulsões sociais.

Relativamente desconhecida em Portugal, esta emigração teve o seu auge nos anos da crise económica (2009-2014), tendo como destino as grandes fábricas de transformação alimentar (perús e galinhas) instaladas nesta zona do Norfolk inglês tradicionalmente fustigada pelo desemprego. Aproveitando a decadência desta vila costeira, outrora um destino balnear de eleição para os britânicos, as fábricas da região aproveitaram a capacidade de alojamento dos hotéis e campos de caravanas semiabandonados para aqui instalar os seus novos trabalhadores.

Trabalhando em Great Yarmouth com um grupo de nove habitantes de diversas nacionalidades, ao longo de vários meses, Marco Martins constrói um espetáculo baseado nos testemunhos individuais de quem vive de perto este período de incerteza e adaptação, explorando as contradições do comportamento humano e a natureza das relações entre os homens e os outros animais.

Marco Martins nasceu em Lisboa em 1972, é um artista português contemporâneo, com uma obra que se estende pelos campos do cinema, artes plásticas e teatro. Formado na Escola Superior de Teatro e Cinema, tendo depois completado a sua formação nos Estados Unidos, os seus filmes têm sido apresentados nos principais Festivais Internacionais onde Alice ganhou a Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes, além de muitos outros prémios internacionais. A sua mais recente longa-metragem, São Jorge, esteve na competição no Festival de Veneza onde o actor Nuno Lopes ganhou o Leão de Ouro e foi apresentado e com estreia comercial em França, Alemanha. Foi, tal como Alice, nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro, e ainda para o Prémio Goya, entre outros. No Teatro fundou em 2007 a sua companhia Arena Ensemble, com Beatriz Batarda, tendo desde aí apresentado espetáculos de forma regular nos principais palcos nacionais.  
MARCO MARTINS -

calendário