1, 2, 3...

... Perguntas a João Gesta

Qui 22 Novembro 2018

Quintas de Leitura
O ciclo “Quintas de Leitura” é definido como um ritual de recitais de poesia à penúltima ou à última quinta-feira do mês, que já conta com 17 anos de existência, e consigo como programador cultural desde 2002. Como é que é estar a frente de um projeto destes há tantos anos? Quais são as principais diferenças que identifica de 2001 para os dias de hoje e estar integrado num projeto como o Teatro Municipal do Porto? 

Sim, realmente, este ciclo poético nasce com o Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura e eu entro no projeto em 2002. O balanço que posso fazer destes anos é positivo. Numa primeira fase, houve o processo normal, para qualquer ciclo, de fidelização de público. Com o público fidelizado e com as salas esgotadas – uma constante das “Quintas de Leitura” de há vários anos para cá –, com uma nova dinâmica cultural no Rivoli e através de várias sugestões do diretor do Teatro Municipal do Porto (TMP), Tiago Guedes, fizemos alguns ajustes que vieram trazer uma maior dinâmica às Quintas e que nos têm proporcionado balanços extremamente positivos. Este ano, temos programadas onze sessões, que representam em números redondos cerca de 4000 espectadores. Três dessas sessões foram realizadas fora de portas – Pérola Negra, Cultura em Expansão e Feira do Livro –, revelando-se igualmente como um grande sucesso, com uma taxa de ocupação superior a 90%. Relativamente às principais diferenças entre 2001 e os dias de hoje, na altura começamos com salas relativamente pequenas, como a Sala-Estúdio do Teatro Campo Alegre, com um universo de 70-80 pessoas. Seguidamente fizemos um salto prudente para o Café-Teatro e aí já contávamos com um universo de cerca de 140 pessoas. E, neste momento, falamos de salas com capacidade para 300 pessoas. De forma pontual, realizamos uma “Quintas de Leitura” de homenagem ao Manuel António Pina, no Grande Auditório do Teatro Rivoli, numa sala com cerca de 700 pessoas. De qualquer maneira, nestas coisas da literatura há que ser prudente. Se me perguntarem: qual o universo abrangido pelas “Quintas de Leitura”? Penso que estamos sempre a falar, com algum conforto, de cerca de 300 a 400 pessoas por mês.  

Por aqui já passaram mais de 1000 artistas, entre poetas, músicos e artistas plásticos. Agora no 17º aniversário, qual é o balanço que retira deste ano de 2018 que está quase a terminar?

Este foi um ano especial. Reservamos o ano a jovens vozes, a poetas que estão agora a dar os primeiros passos. As “Quintas de Leitura” têm também de ser um instrumento para dar voz à novíssima poesia portuguesa e, paralelamente, trazer alguns cantautores que – tal como os poetas – têm alguma dificuldade em fazer ouvir a sua voz. Tivemos ao longo do ano grandes poetas como a Filipa Leal, o Daniel Maia-Pinto Rodrigues ou o João Habitualmente. Todos poetas do Porto, o que também é importante. Penso que o papel das “Quintas de Leitura” é, exatamente, esse: apostar em jovens cantautores e na novíssima poesia portuguesa.

Em poucas palavras, como define atualmente as Quintas de Leitura?

Escrever, em geral, e a poesia, em particular, são claramente um ato de resistência. Escreve-se para resistir a este mundo desconchavado. Uma pessoa liga os telejornais e somos bombardeados com notícias catastróficas, como as recentes eleições no Brasil ou os Estados Unidos da América dos nossos tempos. E escrever é exatamente isso: resistir às novas ditaduras, resistir a estes tempos de populismo que vão conduzir a novos fascismos. Nós, aqui na Europa, temos que ter um antídoto qualquer para nos proteger. E a literatura, em geral, e a poesia, em particular, são, seguramente, fortes antídotos a essas tentações totalitárias.


Fotografia © José Caldeira / TMP
1, 2, 3... -
PRESENTE!: neste Natal ofereça dois lugares do TMP

Qui 6 Dezembro 2018

PRESENTE!: neste Natal ofereça dois lugares do TMP


O Teatro Municipal do Porto lança, mais uma vez, o PRESENTE!, um voucher que permite a todos os interessados adquirir e oferecer um produto diferenciador nesta época festiva. 

João Pais Filipe e Valentina Magaletti: Uma história de amor

Sáb 24 Novembro 2018

João Pais Filipe e Valentina Magaletti: Uma história de amor


Esta é uma história de amor “musical”:
Conheceram-se a 1 de dezembro de 2017, aquando do concerto dos britânicos Tomaga no Subpalco do Rivoli e agora, 364 dias depois – a 30 de novembro -, João Pais Filipe e Valentina Magaletti apresentam um disco a quatro mãos, "Golden Path", no mesmo local onde se conheceram.

1, 2, 3...

Sex 23 Novembro 2018

1, 2, 3...

3 Perguntas a Julieta Guimarães

Mostra Estufa

1, 2, 3...

Qui 22 Novembro 2018

1, 2, 3...

... Perguntas a João Gesta

Quintas de Leitura

Anarquivo

Qua 21 Novembro 2018

Anarquivo

Revoluções: a dança múltipla dos corpos

Um registo livre a partir dos espetáculos da temporada para reativar o discurso das conversas pós-espetáculo e repensar o nosso tempo.

Anarquivo

Ter 20 Novembro 2018

Anarquivo

A Love Supreme

Um registo livre a partir dos espetáculos da temporada para reativar o discurso das conversas pós-espetáculo e repensar o nosso tempo.

Anarquivo

Seg 19 Novembro 2018

Anarquivo

Romances inciertos: dançar a própria incerteza

Um registo livre a partir dos espetáculos da temporada para reativar o discurso das conversas pós-espetáculo e repensar o nosso tempo.

HHY & The Macumbas apresentam o novo álbum no Subpalco do Teatro Rivoli

Seg 12 Novembro 2018

HHY & The Macumbas apresentam o novo álbum no Subpalco do Teatro Rivoli


Num concerto do ciclo Understage, desta vez em coprodução com a Amplificasom, HHY & The Macumbas apresentam o novo álbum: “Beheaded Totem”, dia 16 de novembro, às 23h00 no Subpalco do Teatro Rivoli. 

Trilogia da juventude do TEP apresentada na íntegra no Teatro Campo Alegre

Qua 7 Novembro 2018

Trilogia da juventude do TEP apresentada na íntegra no Teatro Campo Alegre


Entre os dias 7 e 17 de novembro, o Teatro Experimental do Porto (TEP) apresenta, na íntegra, a “Trilogia da juventude” no Teatro Campo Alegre.

1, 2, 3...

Dom 4 Novembro 2018

1, 2, 3...

... Perguntas a Martim Pedroso

Nova Companhia

Né Barros

Qui 25 Outubro 2018

Né Barros

Entrevista

sobre "Revoluções"

François Chaignaud e Nino Laisné em concerto-recital no Palácio da Bolsa

Ter 23 Outubro 2018

François Chaignaud e Nino Laisné em concerto-recital no Palácio da Bolsa


Nos dias 26 e 27 de outubro, sexta-feira e sábado, o coreógrafo e bailarino, François Chaignaud, e o artista visual, Nino Laisné, apresentam em estreia nacional o espetáculo “Romances inciertos — un autre Orlando”, no Salão Árabe do Palácio da Bolsa

Anarquivo

Sex 12 Outubro 2018

Anarquivo

Alguma coisa ruiu
Sobre Late Night

Um registo livre a partir dos espetáculos da temporada para reativar o discurso das conversas pós-espetáculo e repensar o nosso tempo.

1, 2, 3...

Qui 11 Outubro 2018

1, 2, 3...

... Perguntas a Cláudia Dias

FIMP – Festival Internacional de Marionetas do Porto 2018

Anarquivo

Qui 11 Outubro 2018

Anarquivo

The Waves: Sob o desenrolar contínuo do gesto

Um registo livre a partir dos espetáculos da temporada para reativar o discurso das conversas pós-espetáculo e repensar o nosso tempo.

1, 2, 3...

Qua 3 Outubro 2018

1, 2, 3...

... Perguntas a João Ferreira

Queer Porto

1, 2, 3...

Qui 27 Setembro 2018

1, 2, 3...

... Perguntas a André e. Teodósio

Teatro Praga

Renata Portas

Seg 10 Setembro 2018

Renata Portas

Entrevista

sobre "Estava em casa à espera que a chuva viesse"

História(s)

Qui 6 Setembro 2018

História(s)

1ª Parte — Tiago Guedes

A temporada 2018/2019 do Teatro Municipal do Porto — Rivoli e Campo Alegre será apresentada em dois tempos e em duas agendas de programação.

Artistas Associados

Sáb 1 Setembro 2018

Artistas Associados

Temporadas 17/18 & 18/19

O coreógrafo Marco da Silva Ferreira e o encenador Jorge Andrade (mala voadora) são os primeiros artistas associados do Teatro Municipal do Porto.