FIMP 2017


Festival Internacional de Marionetas do Porto

O FIMP’17 apresentará nos espaços do Teatro Municipal do Porto os mais significativos nomes Europeus do teatro de objetos e formas animadas.  

“Ressacs”, de Agnès Limbos e da companhia belga Gare Centrale, guia-nos por uma bem humorada viagem às origens históricas e coloniais do capitalismo moderno. Também da Bélgica, o duo Noémie Vincart e Michel Villé (Une Tribu Collectif), apresenta-nos “Gaspard”, uma peculiar família humana, onde um rapaz-marioneta serve de mote à exposição das ambíguas relações entre manipulador e manipulado. De uma Europa mais ampla, concretamente de São Petersburgo, regressa o colectivo russo Akhe com “Gobo.Digital Glossary”. Maksim Isaev, Pavel Semchenko e seus companheiros, envolvem-nos no seu universo poético e libertário através desta “patética peça-laboratório”, glossário construído como um simulacro, oferecendo-nos uma nova oportunidade de contactar, provavelmente por uma última vez, com esta peça icónica do início do século XXI. Gaspare Nasuto vem de Itália para nos apresentar o seu virtuoso e explosivo “La Domus di Pulcinella”, primo italiano do nosso D. Roberto. De Évora, regressam os “Bonecos de Santo Aleixo” do CENDREV, património vivo da tradição marionetística portuguesa que queremos sempre voltar a ver, e sobretudo que importa (dar a) conhecer. O FIMP é também o lugar para conhecer as mais recentes criações das mais importantes estruturas da cidade e do país. Em estreia, “Arcano”, do Teatro de Marionetas do Porto, convida-nos a entrar no universo de Franz Kafka através das marionetas e dos corpos dos actores. Também em estreia, a nova criação dos Radar 360°, “Manipula#Som”, incursão das sonoridades oriundas da matéria, geradas a partir das práticas da manipulação de objectos e do malabarismo na interacção de interfaces digitais e analógicos. “Bela Adormecida”, do Teatro de Ferro, versa sobre o teatro dos sonhos da menina que dorme e dos que a rodeiam. Pensado para pequenos e graúdos, esta é uma apropriação do conto que não deixará ninguém indiferente. A Tarumba traz-nos o seu novo espectáculo: “Este Não é o Nariz de Gogol, Mas Podia Ser... Com um Toque de Jacques Prévert”. Luís Vieira e Rute Ribeiro prepararam uma festa num ambiente onde o insólito pode assumir a forma do kitsch.
Tudo bons motivos para visitar o FIMP’17, o festival da matéria animada! 

Igor Gandra
Diretor Artístico do Festival


BOLSA DE CRIAÇÃO ISABEL ALVES COSTA 

Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP), a Comédias do Minho (CdM) e o Teatro Municipal do Porto organizam terceira edição da Bolsa de Criação Isabel Alves Costa, agora com carácter bienal, com consequente abertura de candidaturas para uma nova criação no domínio das artes performativas, a ser trabalhada em residência e a circular pelos dois territórios de ação da CdM e do FIMP – o Vale do Minho e o Porto, respetivamente. O projeto vencedor será apresentado em coprodução com o Teatro Municipal do Porto.

A Bolsa de Criação surge como vontade de abertura a novas propostas. Com este gesto, alarga-se o espaço já existente no panorama artístico legitimado, contribuindo para a renovação do tecido artístico na sua relação com públicos e territórios. Serão privilegiados projetos de pequeno/médio formato e grande portabilidade, em que a liberdade de criação e inovação, o cruzamento de linguagens e o pensamento estruturado sejam claros eixos de trabalho e exercício artístico.